quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

VIVOVERSO ergue um brinde a você!

31 de dezembro de 2009...

Os poemas lembrados e criados com nossa chamada "Qual o poema de suas férias? " mostram a poderosa "face febre do verbo" (verso de poema de Felipe Corrêa) em nossas vidas.  Mostram por si nossas razões para manter o versovivo.

Se -como diz Cabral no  poema citado por Julliany Mucury- "não há guarda-chuva contra o tempo", receberemos, no entanto,  o novo ano considerando a esperança, "que disso andamos bem precisados", (como quer Drummond, tão e tanto -bem- citado nos posts).
VIVOVERSO se expande para "Vivouniverso" !! Quem percebeu foi Xico Chaves...
Então, neste último dia do ano, nossa voz diz EXPANSÃO....

À meia noite de hoje o sentimento de gratidão estará no coração da gente.

Convidamos você a nos acompanhar!

Em barquinhos diferentes, mas sobre as mesmas águas !

  (México, foto de Paulo Roberto Bastos Santos, arquivo de Sylvia)

Um brinde, pelo rumo compartilhado! 

domingo, 27 de dezembro de 2009

Qual a poesia das suas férias?

O VivoVerso está de recesso (o acadêmico, não o artístico -que pra isso não se tem recesso nunca).

A você que nos visita convidamos a deixar uma mensagem poética -sua ou de poetas, pensadores e ou compositores de sua escolha.

Vamos conversar pela poesia, então? Você fala, nós responderemos com mais poesia.
É assim que queremos que seja a entrada do ano de 2010!

Esperamos sua voz!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Em nome do pai do filho e do amigo santo!

NUTRINDO
PESSOA

se
Natal
de gente grande
não tem face de fantasia
proponho um novo Noel
de crença e força em poesia:
quem vem viver a verdade
(com licença do poeta Pessoa...)
da mágica de sentir por certa
uma amizade que ressoa?
ser junto, além de estar
é o ato que meu Noel indica
ao empenho nosso de cada dia
em nome do pai, do filho e do amigo santo!
é pra você , então, que canto -gente grande especial-
minha nova e contrita compreensão
de vida
e
de
Natal.
                                      Sylvia Cyntrão
_____________________________________________________________
Obrigada a você, amigo (a) colaborador(a) do blog, de quem recebemos a força vital para caminhar neste 2009.Continuemos , portanto, e “sejamos” juntos em 2010!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Venha falar -e cantar- o amor conosco! Sexta, 11, na Fnac


Nunca direi a palavra completa
pois entre Alfa e Ômega
sou Beta.
Nunca direi a verdade absoluta
pois o que exponho
não é sequer vitória,
mas uma parte da luta
   (Affonso Romano de Sant´Anna)

Esta sexta-feira, dia 11/12, às 19h 30 na Fnac-Parkshopping
 
Recital poético-musical "Fale-me de amor!"
poemas de Affonso Romano de Sant´Anna e canções de Felipe Corrêa

ATUANDO...Deliane Leite, Julliany Mucury, Leticia Fialho,
Maxçuny Alves, Mateus Alves, Patrícia Corrêa
CANTANDO E TOCANDO...Felipe Corrêa
PRODUZINDO...Maxçuny Alves

domingo, 6 de dezembro de 2009

Viva-o-Verso cantado!!


O Grupo Origami ( braço musical do VivoVerso) fez sua apresentação na Fnac chamando a atenção do público do Franz Café, onde fica o palco, e cativando os que passavam por lá.

Entre outras Canções, o público pôde ouvir as clássicas "Quase sem querer" (Renato Russo), que iniciou o show, “Se” (Djavan) e "Como eu quero" (Paula Toller) . O repertório autoral ficou por conta de “Vida” , de Leticia Fialho; "O monge" e "Estátuas de sal", de Felipe Corrêa. Tudo com o acompanhamento preciso de Darlan na guitarra. Ao final Felipe apresentou sua interpretação de “Proibida pra mim” de Charlie Brown Jr e o Grupo deixou aquele gostinho de “quero mais” na platéia.

E então...Querem conhecer mais da  produção autoral dos compositores ?
Compartilhamos uma letra de Leticia e uma letra de Felipe sobre Brasília...dois olhares.
Vale uma reflexão sobre o conturbado momento...a partir da poesia das letras.

Um pedaço de terra cercado de Brasil
por todos os lados
será ilha?
Será Brasil.
Será Brasília.

Na secura do ar de agosto
tudo é feito de amarelo-cerrado,
o céu de azul,
o chão de barro.

E as lágrimas de quem deixou
o seu lugar pra vir pra cá
enchem o Lago Paranoá.

Fala pra quem te desenhou,
pra quem te fez virar lugar,
que eu também quero asas para voar.

Eu quero ver esse chão
virar um lugar de amor:
pra fora daqui todos os reis da ambição.
pra fora desse avião!

                                    (Leticia Fialho)

***
Mil metros acima de Brasília
um imenso planalto
cidade acima...
Muito acima do Tibet
Mil metros acima da fé.

Aqueles que estão lá não temem a força escura,
pois a vibração que está acima é
a mais pura

Muito acima do Tibet
Mil metros acima da fé

Os seres de lá têm olhar
de candura,
pois a vibração que está acima é a mais pura

Muito acima do Tibet
Mil metros acima da fé

Os habitantes de lá não temem a força escura,
Pois aqueles que estão lá são como ondas
de força...

Muito acima do Tibet
Mil metros acima da fé!

                                       (Felipe Corrêa)
***


Dia 11 tem "Fale-me de amor" (que disso estamos bem precisados aqui em Brasília ...) na Fnac.  Aguardem mais notícias!

domingo, 29 de novembro de 2009

VivoVerso convida para esta sexta-feira na Fnac

Dia 4 de dezembro, sexta-feira, 19h às 20h
Fnac (Parkshopping)

"Grupo Origami"- O braço musical do Grupo VivoVerso apresenta-se com repertório autoral e sucessos da MPB. Felipe Corrêa (voz e violão); Leticia Fialho (voz e violão ) e Darlan Carvalho (guitarra).

Os diálogos musicais visam a ressignificar e a homenagear a palavra de cancionistas  como Renato Russo, Oswaldo Montenegro, Charlie Brown Jr, Djavan , Paula Toller , Nando Reis entre outros.                                             



                                                             Esperamos você lá!

domingo, 8 de novembro de 2009

VIVOVERSO CONVIDA VOCÊ !



dia 26 de novembro, quinta- feira, 18h às 19h40
 Feira do Livro (Pátio Brasil)
VivoVerso subirá ao palco acompanhado dos poetas e integrantes dos grupos (cada grupo em 18 minutos de apresentação) Sids de Oliveira e O Grande Barco; Coletivo de Poetas; Oi Poema ;Tribo das Artes. A apresentação integra o Poemação "Esquentando os Tamborins", de Pré-lançamento da II Bienal Internacional de Poesia de Brasília . Antonio Miranda será o anfitrião no Café Literário , Térreo do Pátio Brasil.

Logo a seguir, às  20h, no Stand do Chico (no. 5 na Feira do Livro), o Grupo lançará seu CD que acompanha o livro Poesia : o lugar do contemporâneo.(org. Sylvia Cyntrão).

dia 4 de dezembro, sexta-feira, 19h às 20h
Fnac (Parkshopping)
"Banda Origami"- Braço musical do Grupo VivoVerso , liderado por Felipe Corrêa (voz e violão), com repertório autoral e sucessos da MPB. Convidados da noite: Darlan de Carvalho (guitarra) e Leticia Fialho (percussão e apoio instrumental).

dia 11 de dezembro, sexta-feira, 19h às 20h
Fnac (Parkshopping)

Recital poético-musical  "Fale-me de amor" com poemas de Affonso Romano de Sant´Anna e canções de Felipe Corrêa.

ATUANDO...Brunna Guedes, Deliane Leite, Julliany Mucury, Maxçuny Alves, Mateus Alves, Patrícia Corrêa.
CANTANDO E TOCANDO....Felipe Corrêa
PRODUZINDO...Heloísa de Sousa e Maxçuny Alves
APOIANDO no instrumental: Letícia Fialho

***

 Venha falar -e cantar- o amor conosco!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

André Luís Gomes dirige VivoVerso para 2010

VivoVerso viveu ontem, dia 4, seus  primeiros momentos sob a direção de André Luís.

É o início da forte parceria com o experiente diretor, para a montagem do espetáculo "Brasília , só ela!" que o Grupo apresentará por ocasião das homenagens aos 50 anos da capital.

Quem estava por perto viu a revolução que ele já fez, só em um primeiro ensaio!

Obrigada, André...!!! Bem-vindo!!!



Doutor (2004) e mestre (1998) em Literatura Brasileira pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP). Graduação em Educação Artística - habilitação em ARTES CÊNICAS na Escola de Comunicação e Artes (ECA -USP) e em LETRAS pela Universidade de Franca (1989). Atualmente é chefe e professor do Departamento deTeoria Literária e Literaturas (TEL) da Universidade de Brasília e exerceu o cargo de tesoureiro da ANPOLL (biênio 2006-2008) . Autor dos livros MARCAS DE NASCENÇA: a contribuição de Gonçalves de Magalhães para o Teatro Brasileiro e CLARICE EM CENA: AS RELAÇÕES ENTRE CLARICE LISPECTOR E O TEATRO. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Literatura Brasileira, atuando principalmente nos seguintes temas: Dramaturgia Brasileira, Crítica e adaptação teatral, Literatura e outras artes. Diretor e coordenador do Grupo Teatral Entrecenas.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

CD "Fale-me de amor ! "



Os membros do VivoVerso agradecem  a colaboração dos amigos da poesia que, adquirindo o livro Poesia: o lugar do contemporâneo com o CD de encarte, estarão viabilizando o início da produção do próximo espetáculo em homenagem aos 50 anos de Brasília!

O ROTEIRO com os poemas e canções do CD "Fale-me de amor" está publicado na íntegra no livro (p. 279-291).

domingo, 25 de outubro de 2009

"Bravo"! (ou...a emoção de ouvir Pedro Olivares) *


No último dia 23 de outubro, o Grupo VivoVerso (re)apresentou o espetáculo
"Fale-me de Amor!", no Congresso Internacional de Humanidades, com o lançamento de seu primeiro CD.

A apresentação aconteceu no auditório principal da Finatec, dando seguimento à comunicação “O lugar do amor na poesia contemporânea brasileira: primeiras reflexões a partir de uma situação de blog”, (deste blog ! que teve 77 postagens em um único dia -27/04/2009- a partir da pergunta: “Para você quais os mais belos versos da MPB?”. Em breve o levantamento temático em quadros percentuais serão apresentados aqui.)

Grupo e público tiveram total empatia. A platéia de pesquisadores internacionais, artistas, professores e alunos exigiu muito dos artistas , pois entrou (literalmente) no espetáculo com seus gestos, seus “assombros” e seu “silêncio”. Os olhos estavam tão atentos que chegamos a ver (lá de cima) alguns que se inclinavam para saborear melhor as palavras e canções que se acendiam naquele palco imantado. Quando a arte se realiza assim é...mágico!

Ao final foi possível ouvir um emocionado “bravo” de ninguém menos que Pedro Olivares (professor universitário, ator e diretor teatral no Chile). Alguns fizeram questão de parabenizar individualmente cada pessoa do grupo, como o próprio Olivares, a professora Elga Pérez-Laborde, coordenadora do Congresso , a professora Alice Tamie Joko e o professor e futuro diretor de cena do grupo, Andre Luís Gomes .
Se você ainda não teve a oportunidade de assistir a este espetáculo que “fala de amor”, ainda há tempo. Temos apresentações previstas para este final do ano na FNAC!

Aguarde a divulgação no Blog!

O Cd "Fale-me de amor" pode ser solicitado em vivoverso@gmail.com

* ( registro feito a quatro mãos por Maxçuny e Sylvia)

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

VivoVerso faz apresentação memorável




"Memorável" foi um dos muitos cumprimentos que o Grupo VivoVerso ouviu do público que lotou o auditório da Biblioteca Nacional de Brasília na noite de ontem no Tributo à Cecília Meireles.

Em apresentação impecável, o espetáculo "Fale-me de amor" , com versos de Affonso Romano em diálogo-homenagem à poeta, foi apresentado por Brunna, Julliany, Maxçuny, Mateus, Patrícia e Deliane - que antes fez uma "Cecília" inspiradíssima a partir das falas de Sylvia sobre a poeta, dando o tom para os poemas e canções que se seguiram com Felipe cantando ao violão, Letícia na percusssão e pífano e o músico Darlan (convidado) na guitarra. Na produção , Heloísa controlou tudo na cabine de som e deu segurança ao ótimo desenvolvimento da cena.

Estavam presentes vários poetas de Brasília prestigiando a ocasião: Alexandre Marino, Amneres, Anderson Braga Horta, Lina Tâmega (que foi amiga de Cecília Meireles), Augusto Rodrigues , João Carlos Taveira e Nicolas Behr, entre outros amigos. Destacamos também a presença dos colaboradores do livro Poesia: o lugar do contemporâneo lançado no coquetel após a apresentação : Elga laborde, João Vianney, Mauricio Mello Jr, Sara Almarza e Zélia Bora.

Agradecemos encantados o acolhimento e a recepção do poeta e diretor da BN, Antonio Miranda, que ,com sua equipe, - em destaque a poeta e assessora de imprensa da BN, Angélica Torres, oportunizaram mais uma vez a valorização da melhor literatura !

***

Dia 23 , sexta-feira, o Grupo se apresenta em dois momentos no auditório da FINATEC para o público do Congresso Internacional de Humanidades

1- às 11h,o trabalho acadêmico de Gabriel, Ismênia e Mônica que estarão em uma Mesa de debates falando da pesquisa a partir de postagens deste Blog, e,
2- às 11h30, "Fale-me de amor".Na ocasião será disponibilizado o Cd do espetáculo.

É O VIVOVERSO DANDO VIDA À POESIA

sábado, 17 de outubro de 2009

VivoVerso apresenta "Fale-me de amor!" no Tributo a Cecília Meireles



Quarta-feira às 19h, no Auditório da Biblioteca Nacional

1a parte -Palestra-recital de Sylvia Cyntrão e Deliane Leite
2a parte- Espetáculo "Fale-me de amor", com VivoVerso
3a. parte- Lançamento de livro e CD do Grupo
A presença do Grupo no tributo a grande poeta modernista cumpre um duplo ritual : promover o diálogo cênico da poética de Cecília com a de Affonso Romano e o de ilustrar ao vivo para o público o conteúdo do Cd do grupo, produzido por Felipe Corrêa, que encarta o livro
Poesia : o lugar do contemporâneo .

O livro, um dos frutos da I Bienal de Poesia de Brasília, foi organizado por Sylvia com ensaios de críticos literários e poetas e será lançado durante o coquetel de encerramento .

Atores: Brunna Guedes, Deliane Leite, Julliany Mucury, Maxçuny Alves, Mateus Alves, Patrícia Corrêa.
Composições, voz e violão: Felipe Corrêa
Apoio instrumental: Leticia Fialho
Produção: Heloísa de Sousa, Maxçuny Alves

Agradecemos o convite e o apoio do poeta e diretor da BNB Antonio Miranda
e da poeta e jornalista Angélica Torres.

Esperamos você para esta noite multipoética!!!
Este evento faz parte da Programação extra -muros da "I Semana da Linguagem" da UnB.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Vivoverso: aberto de poesia






Por Maxçuny Alves
"Lembrando a eterna canção de Fernando Brant e Milton Nascimento é que saímos do ensaio aberto (pequena mostra) do Vivoverso realizado no último dia 7, na entrada sul do ICC na UnB, com os corações cheios de sonhos.
Levar um pouco de poesia à correria do dia-a-dia isso sim “é buscar o caminho que vai dar no sol”, “não importando se quem” passou “quis ouvir...” “foi assim”!
O grupo todo saiu de lá com um desejo profundo de ir mais longe. Levar poesia a quem não tem acesso, ir ao metrô, à rodoviária, ao mundo externo, pois “todo artista tem que ir aonde o povo está”.
E o povo retribuiu com aplausos, olhos brilhantes, ouvidos atentos e uma indagação na alma – Quem são estes que ousam falar de amor em plena pós-modernidade e alardear que “se ama também de outra forma... sublime..." ilimitada...” liberta, em meio a “terremotos” internos, às vezes “remexendo escombros” e em completo “assombro”?
....Só sabemos que é preciso falar de amor hoje e sempre, pois se calarmos... “nossa alma vai rachar”!!! "
___________________________________________________________________

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

De braços dados


" Nunca direi a palavra completa
pois entre Alfa e Ômega sou Beta
nunca direi a verdade absoluta
pois o que exponho não é sequer vitória
mas uma parte da luta."

(ARS)

Em "ensaio aberto" na entrada do ICC sul da UnB o braço falado do Vivoverso apresentou hoje os poemas de Affonso Romano de Sant´ Anna que compõem o espetáculo "Fale-me de amor", oferecendo-os ao público passante que simpaticamente acolheu e aplaudiu a intervenção

Por falta de condições técnicas do espaço , o braço cantado do Grupo não pôde compor a cena reservando-se para as apresentações nos dias 22 e 23 de outubro (na Feira do Livro e no Congresso de Humanidades da UnB) conforme agenda já divulgada. As canções estarão lá ,
com a qualidade sonora que você merece ouvir!

Essa é a luta diária do Grupo que se mantém de braços dados
- harmonizando poesia e música- há 4 anos.

Confira nos dias 22 e 23 de outubro !




Estaremos informando nossas apresentações sempre com antecedência para você se programar.
















terça-feira, 6 de outubro de 2009

Agenda cheia , pela poesia !

O Grupo com o poeta Affonso Romano de Sant´Anna

O AMOR está sempre presente nos encontros do Vivoverso, como tema das pesquisas e nos seus mais recentes produtos (“Fale-me de Amor” e “Brasília, só ela!” o novo espetáculo em preparação para 2010).

A sede de aprender a viver a poesia é a força que nos faz levá-la até você com espetáculos montados a partir de intensa pesquisa e fundamentados na palavra poética.

Este é o laço que une o grupo e dele vem o privilégio de aprender sempre uns com os outros, a sério e também incorporando gargalhadas e conflitos bem saudáveis...

Confira as próximas atividades do mês de outubro e...
PARTICIPE CONOSCO!
Dia 7 (quarta-feira) - Ensaio aberto do espetáculo “Fale-me de Amor” na entrada sul do ICC (UnB) às 19 horas. Sempre é tempo de escutar e de falar sobre o amor... Participe!

Dia 21 (quarta-feira)- Palestra de Sylvia Cyntrão sobre CECÍLIA MEIRELES-VIDA E OBRA- acompanhada de Deliane Leite na performance com os poemas. Auditório da Biblioteca Nacional, às 19h, no “Tributo ao Poeta’, evento – evento referência em Brasília, organizado pelos poetas Antonio Miranda e Angélica Torres.

IMPORTANTE!!! Na ocasião será lançado o CD do espetáculo “Fale-me de amor”, encarte do livro Poesia : o lugar do contemporâneo.

Dia 22 (quinta-feira) – Apresentação no Café Literário da Feira do Livro às 18 horas. Reserve em sua agenda!

Dia 23 (sexta-feira)- Apresentação na UnB (Congresso Internacional de Humanidades) , no Auditório da Finatec, às 11h30.

Até lá!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009


Orgulho carioca
Por Mônica Lucena


Parte I

E viva o Rio!!!

Esse grito engasgado do carioca, que está tão acostumado a aparecer na mídia com notícias arrebatadoras de violência e mortes estúpidas. Agora foi lindo ver o Rio em festa na orla da Princesinha do Mar, essa velha e linda senhora Copacabana. É instigante ver o Rio cidade Sede Maravilha das Olimpíadas de 2016!!!
Essa vitória do Rio, do povo brasileiro, do carioca, só confirma aquele papo todo na reunião do Grupo VivoVerso, quando a Sylvia contou histórias de sua vida no Rio e comentou sobre seu pai hipercarioca que jogava vôlei na praia e tem orgulho de ser carioca. Isso me fez pensar que assim como existe o orgulho gay, o orgulho black, o orgulho de ser rubro-negro, orgulho de ser brasileiro, ainda resiste o orgulho de ser carioca.
Parte II

Orgulho de ter nascido e viver na cidade Maravilha mutante, com o visual incrível das montanhas e o mar. Rio cenário de poesias, romances, novelas e canções inspiradas na malemolência de seu povo, na cadência da passista, na lírica da favela e na irreverência carioca. Mas também cenário da violência do tráfico, das atrocidades diárias de assaltos seguidos de morte, de balas perdidas...tão carioca. E fica a pergunta: o orgulho carioca, como fica?
Volta a questão da exclusão social, das diferenças entre classes que saltam dos olhos da menina malabarista do sinal e reflete no olhar do motorista imparcial em seu automóvel blindado. Realidade tão próxima e tão distante.
Parte III

O carioca tem de ser malabarista no seu cotidiano, ser equilibrista na corda bamba, ser honesto, trabalhador, cuidar da família, torcer pelo time do coração e ainda promover ações sociais para amenizar as tantas diferenças entre o morro e o asfalto.
E, claro, não esquecer de tomar um chopp bem tirado, de curtir um samba de raiz e aplaudir o pôr-do-sol no Posto 9. Afinal, manter o orgulho de ser carioca é questão de sobrevivência.
Olimpíadas Rio 2016! Vamos nessa, sou carioca com muito orgulho e muito amor!!
"O RIO CONTINUA OLÍMPICO!!!!!!!"
Luis Turiba
(Frase divulgada pelo poeta antes do anúncio do Comitê Olímpico,na Dinamarca, hoje.)

Vivoverso vive com alegria a notícia de que a cidade do Rio de Janeiro sediará as Olimpíadas de 2016.

É a arte e o esporte se unindo na e pela paixão.
O que você acha sobre isso?

Esperamos seu comentário!

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Vivoverso volta à cena em outubro!

O Grupo de pesquisa (e performance poética) reapresentará o espetáculo “Fale-me de Amor” (Seleção de poemas de Affonso Romano de Sant´anna) no Congresso Internacional de Humanidades, dia 23 de outubro, na UnB, em local a ser divulgado . Na ocasião ocorrerá o lançamento do livro, organizado por Sylvia H. Cyntrão, com encarte do CD do espetáculo.

Poesia: o lugar do contemporâneo

Ensaios do Simpósio de Crítica de Poesia da

I Bienal Internacional de Poesia de Brasília


O Grupo encontra-se em plena atividade de pesquisa e (re) ensaio.

Na última quarta-feira (23/09/2009) esteve reunido em duas frentes de trabalho:

  • uma frente em cena, que constatou a grande intimidade de todos com os textos (nossos antigos conhecidos) ;
  • outra frente envolvida na pesquisa que será apresentada em Mesa do Congresso.

Surgiu a idéia de se fazer um ensaio de tipo intervenção, quem sabe você não estará passando pelos corredores do ICC e pode presenciar este ensaio, fique atento! Caso fique confirmada a proposta haverá divulgação no Blog , que apresentará notícias semanais das atividades e/ou atuações do Grupo.

Não perca!!!

Aproveito para registrar um sentimento, expresso por Letícia - um dos novos membros do Vivoverso- que, com certeza , é de todo o Grupo:

“As minhas quartas ganharam outro tom, e eu já saio de casa de manhã com toda uma alegria nova por saber que à noite estarei lá no TEL, vivendo poesia...”

Maxçuny Alves 29/09/09

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Convite! semana de Sociologia - UnB




Hoje, 18 de agosto, inicia-se a VII SEMANA DE SOCIOLOGIA - As Ciências Sociais na América Latina. Ainda hoje, as 16h, no auditório SOL, o professor Dr. Augusto Rodrigues (TEL/UnB) e integrante do VivoVerso irá apresentar a comunicação Arnaldo Antunes inclassificável: rock, poesia e intervenção urbana.


a programação completa está na página: http://www.unb.br/ics/sol/noticias.php?cod_not=125

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

CONVITE

O Grupo de Estudos Osmanianos convida para um encontro com o Professor Dr. Dagoberto Buim (UNESP/Marília), que dará depoimento sobre o seu convívio com Osman Lins, de quem foi aluno de Literatura Brasileira na década de 70, na Faculdade de Letras de Marília (SP). O encontro acontecerá às 17:30h do dia 20 de agosto de 2009 (quinta-feira), na Sala Agostinho da Silva – TEL.

Elizabeth Hazin

Coordenadora do Grupo de Estudos Osmanianos

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Mais do melhor!

Estão abertas as inscrições para a atividade de extensão Vozes dissonantes na literatura brasileira contemporânea, ou o que não cabe no projeto nacional, promovida pelo Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea (Gelbc). Os encontros acontecerão quinzenalmente, de 14 de agosto a 27 de novembro, no auditório Agostinho Silva, do Departamento de Teoria Literária e Literaturas, da Universidade de Brasília.

Serão oito encontros, em que serão expostas, analisadas e discutidas obras da literatura brasileira contemporânea que apontam para as fraturas do projeto de nação. Para participar, os interessados devem entrar em contato com a coordenação do evento pelo email grupodeleituraunb@gmail.com. O curso é gratuito e com direito a certificados para os 20 participantes inscritos.

Serviço:

Vozes dissonantes na literatura brasileira contemporânea, ou o que não cabe no projeto nacional
Local: Auditório Agostinho Silva, do Departamento de Teoria Literária e Literaturas da UnB
Horário: das 15h às 17h, sempre às sextas-feiras.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Imperdível!!!

Espetáculo: SIMPLESMENTE EU. CLARICE LISPECTOR
Com Beth Goulart

Temporada: de 10 de julho a 02 de agosto de 2009.

Duração: 60 minutos.
Classificação indicativa: 12 anos.
Local: Centro Cultural Banco do Brasil Brasília - SCES, Trecho 2, Lote 22, Brasília.
Telefone: (61) 3310-7087.
Capacidade do teatro: 324 lugares e 4 para cadeirantes.
Ingressos: R$ 15,00 e R$ 7,50 Bilheteria: de terça-feira a domingo das 9h às 21h.

segunda-feira, 6 de julho de 2009


Letícia Fialho convida a todos para uma noite de pura ARTE!

Segundo a nossa querida amiga d'arte, além do seu show:

"Também tocará a banda Deuses da Kaaba, do poeta Paulo Ohana!
Vale a pena conhecer o trabalho deles, pra mim são a melhor banda independente de Brasília, em letra, em música e em sinceridade. Faremos participações nos shows uns dos outros, será uma noite bastante agradável e cheia de música!"

Quando??? = Terça-feira, 7 de julho

Onde??? = Rayuela Bistrô (412 sul)

Vamos renovar o fôlego! Até lá!!!

terça-feira, 30 de junho de 2009

Augusto Rodrigues convida para a performance
"FALE COM ELE"!

Tubo de Ensaios
Só - Risos
Dias: 04 (21:00) e 05 (20:00) de julho
Local: entrada sul do ICC, na UnB

domingo, 28 de junho de 2009

Relato de Deliane Leite sobre a noite de 24 de junho de 2009

"Ao lermos Afonso Ávila nos deparamos com um certo hermetismo, mas esta é somente a primeira impressão. Afonso Ávila tenta dizer o máximo com o mínimo, por isso alguns o filiam ao concretismo e poema-processo. Sua geração verteu grandes nomes, como João Cabral de Melo Neto, e é nesse ponto que Afonso se revela um verdadeiro artesão da palavra. A homenagem ao poeta mineiro na quarta dia 24/06 no auditório da Biblioteca Nacional de Brasília inundou a todos os presentes com a atmosfera avilana. O professor Antônio Miranda conduziu com muita maestria esta justa homenagem.
Eu e Carlos Alberto da Silva Xavier reviramos um verdadeiro baú de preciosidades de nossa literatura. O ponto alto da recitação foram os poemas em que Afonso Ávila utilizou a linguagem poética como meio para criticar o estado militar em que o país estava imerso (1964-1985). Enquanto pesquisadora, poeta e membro do grupo Vivoverso parabenizo a iniciativa da BNB de promover o Tributo ao Poeta. A irmã do poeta, presente na homenagem, revelou-me a paixão pela obra do irmão, que por motivos de saúde não pode comparecer ao evento. Sua emoção veio ao perceber que não era a única aficcionada pelo poemas avilanos, boa parte da platéia, ao deixar a BNB na última quarta, levou pra si um pouco do autor do poema a Arte de Furtar."

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Deliane Leite na BNB!

Mais um nome será apresentado e recitado na Biblioteca Nacional de Brasília dentro do projeto mensal Tributo ao Poeta 2009, que põe em cena Affonso Ávila, um dos mais expressivos do experimentalismo que marcou a poesia do século XX.

O diretor da BNB e também poeta, Antonio Miranda, vai apresentar o estudo da obra de Ávila; Deliane Leite (do grupo VivoVerso, da UnB) e Carlos Alberto da Silva Xavier (economista e ecólogo) vão recitar os poemas no evento marcado para a 4ª feira, 24 de junho, às 19h30, no auditório da Casa (2º andar), com entrada franca ao público.

sexta-feira, 19 de junho de 2009


Vivoverso homenageia mais uma vez
e sempre
Chico Buarque de Hollanda
no dia em que completa 65
– belíssimos e poéticos –
anos de vida.”

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Oportunidade!















Nos dias 25 e 26, em parceria com a UNICAMP, acontecerá o evento de extensão

"O CENTENÁRIO DE ARTUR AZEVEDO".

Local:

Auditório Agostinho da Silva

TEL/UnB

Dias 25 e 26 de junho de 2009


A programação promete:

dia 25-06 (quinta-feira)

9h : Abertura do evento

9h30 : leitura dramática

10h : palestra com o Prof. Dr. Marcos Mota (CEN-UnB)

14h : Mesa redonda

Profa. Dra. Larissa Neves (UNICAMP)

Prof. Ms. Rafael Vilas Boas (UnB)


dia 26/06 (sexta-feira)

9h : Leitura dramática

9h30 : Mesa rendonda

Profa. Dra. Orna Levin (UNICAMP)

Prof. Dr. André Luís Gomes

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Uma noite com Renato Russo não se esquece. Foi ontem.

Chegamos ao CCBB mais cedo, para atualizar os papos da vida, das relações humanas e aguardar a fala do autor. Aos sanduíches e vinhos, acompanhados de água com gás, falamos sobre o bem viver, a "enfrentância" do cotidiano, a arte...

Carlos Marcelo e Sá sentaram-se às 19h30 para falar do livro que o primeiro escreveu sobre Renato Russo, da sua paixão pelo rock, dos 8 anos de pesquisa para o livro, brotada na contribuição do jornalista à revista BIS. Ali havia muito a ser dito. Marcelo desfiou o novelo da construção de sua obra, cujo cerne deu-se em 1999, quando ele escreveu "a história do rock de Brasília" para a tal revista. Se Renato e Brasília nasceram em 1960, cresceram juntos. E esse foi o mote da pesquisa.

O livro traz materiais inéditos. Nele descobrimos as turmas de Renato além da turma da colina. Quem foram seus "amigos invisíveis". A participação do cantor/autor no Diário de Brasília. A história começa e termina no show do Mané Garrincha. Ali, a utopia frustrada do grande show para os brasilienses encontra a decepção com a cidade planejada, que não vingou como utopia que era.

Carlos Marcelo teve acesso a letras inéditas, manuscritos também nunca vistos e o apoio da família, toda presente. A mãe, a irmã e o filho de Renato lá estavam. Também Luis Turiba, Nicolas Behr, Vladimir Carvalho, entre outros intelectuais da melhor safra de Bsb. Turiba contando as novidades para 2010, Behr divulgando sua obra e Vladimir assumindo ser um estudioso de rock. Nada disso em vão. Muita coisa está sendo cozida para ser servida em breve.

Em uma noite de bambas não há como voltar para casa igual. A gente se enche de sonho, de vontade de ler, ler, ler e fazer a arte acontecer para tudo e todos. A energia de um trabalho bem feito e o sucesso da noite de autógrafos sacudiram os presentes!

Até a Livraria Dom Quixote vai crescer, teremos mais duas lojas logo, logo... Brasília respira com novo fôlego na reta de seus 50 anos. Muita coisa virá. E o melhor foi sentir isso no ar... Os agitadores estavam todos ali, armando os próximos ATOS, inspirados no Renato contado por Carlos.

Dados do livro:

Renato Russo - O Filho da Revolução (2009), de Carlos Marcelo. Ed. Agir. 415p.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Para você... quais os mais belos versos da MPB?

Já tivemos 68 comentários (veja os posts de 27 de abril)!!!
Queremos mais!!!


E você? Já respondeu à nossa enquete?



P.S.: Para comentar não é necessário ter uma conta do google ou filiados.
Basta escolher a opção
nome/url e digitar seu nome.

Dica para junho!!!


Mulheres na construção de Brasília

Uma exposição inovadora revela um conjunto de imagens pouco conhecidas: as mulheres na construção de Brasília. É com este foco que o Museu Vivo da Memória Candanga, em parceria com o Arquivo Público do DF, organizou a exposição fotográfica ‘Candangas’, que está aberta a visitação até o dia 30 de junho, de terça a domingo, das 9h às 12h e das 14h às 17h, no próprio Museu.

A mostra é composta de 25 reproduções fotográficas, em preto e branco, impressas no tamanho 54 X 80, feitas por Mário Fontenelle, o primeiro fotográfico oficial de Brasília. As fotografias pertencem ao acervo do Arquivo Público do DF e apresentam imagens quase ausentes no imaginário popular: ciganas, secretárias, telefonistas, donas de casa, professoras, cozinheiras, enfermeiras, viajantes. Enfim, demonstram e apresentam a atuação das mulheres na realização do sonho de interiorização da capital brasileira.


PROGRAME-SE – Exposição fotográfica ‘Candangas’, no do Museu Vivo da Memória Candanga, visitação até o dia 30 de junho, de terça a domingo, das 9h às 12h e das 14h às 17h.
Endereço: VIA EPIA Sul, lote D, Núcleo Bandeirante (ao lado da Brasília Motors). Informações: 3301-3590 ou 3301-7584.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Quais são os mais belos versos da MPB?


O compositor

 popular


O filme "Palavra (en)cantada" é sobre o melhor dos brasileiros


 Tire o seu sorriso do caminho que eu quero passar com a minha dor, quero passar com os meus quereres, podres poderes e com o conselho para todos verem “Palavra (en)cantada”, filme de Helena Solberg sobre as relações da poesia com a música popular brasileira. Como dois e dois são cinco, não tem erro aqui também. Um filmaço. É um documentário sobre o melhor deste rancho fundo, um país cada vez mais para cá do fim do mundo, onde o carcará está pegando geral.

Helena deu um viva! ao compositor popular. Ela filmou um viva! ao único lugar onde Orestes Barbosa poderia pegar do violão e chegar à conclusão — moreno, eu te dou grau dez! — de que a lua é gema de ovo no copo azul lá do céu. Fê-lo bem. Os senadores não valem nada, mas os letristas são demais. Eles pisam os astros distraídos, iluminam mais a sala que a luz do refletor, botam o bloco na rua e, quando abrem seus cadernos Moleskine, eles fazem um novo país. Inventam a mulata bossa-nova, o moreno de camisa listrada no turbilhão da galeria, a rainha do frevo, do maracatu, e a lourinha dos olhos claros de cristal.

São esperançosos e distribuem esse fruto maravilhoso. Sabem que, enquanto o tempo não trouxer abacate, amanhecerá tomate e anoitecerá mamão. Da árvore deles sempre vem algum alimento.

As letras da MPB são o pau, são a pedra, são o início do caminho para quem gosta de palavras se mexendo. Eis o meu caso. Eu gosto que me enrosco de ouvir dizer “bigorrilho”, “maracangalha”, “analfomegabetismo”, “pó pará com o pó” e, por isso, peço atenção para o refrão. Eu li Lobato, depois devorei Rubem Braga, depois Machado, Graciliano, Rubem Fonseca e agora Cristovão Tezza. Gênios das letras cultas, para serem lidos em silêncio sob a luz do abajur lilás. Antes de todos, porém, li os letristas da MPB e a eles aqui presto meu preito.

Aprendi as primeiras letras com os lamartines das marchinhas, professores capazes de decifrar os conhecimentos do mundo e dizer, bem explicadinho e com humor, que quem inventou o Brasil foi seu Cabral, dois meses depois do carnaval. Depois aprendi com os caetanos tropicalistas, finos meninos do lado do sim, a perceber beleza quando “seus peitos direitos me olham assim”. A letra de música foi o meu primeiro passo em direção aos “Lusíadas” e aos “Sertões” — e é mais ou menos isso, se eu entendi certo, que “Palavra (en)cantada” diz acontecer com a maioria dos brasileiros.

Não temos grandes orgulhos pátrios. Inventamos a bicicleta do Leônidas, o drible da vaca do Pelé, construímos Brasília, alimentamos as duas polegadas a mais da Marta Rocha, amulatamos o rebolado da branquela Gisele Bündchen e temos esse visual inacreditável que, quando o assaltante faz o favor de sair da frente, está sempre disponível na janela do carro. Paira, acima de tudo, uma música espetacular e, no meio dela, um ajuntamento de gênios dedicados a escrever letras.

Manuel Bandeira dizia que “Tu pisavas os astros distraída”, de Orestes Barbosa, era o mais belo verso de toda a poesia brasileira. Vinicius de Moraes não cansava de citar seu preferido, “Tens um olhar/ que me consome/ por caridade, meu bem/ me diga seu nome”, de Ismael Silva. Paulo Mendes Campos destacava Noel Rosa, que na letra de “A cor de cinza”, um samba pouco divulgado, tascou “A poeira cinzenta da dúvida me atormenta”.


Uma conversa sobre o mais bonito verso da música popular brasileira é, tamanha a possibilidade de escolha, uma conversa tão interminável quanto saber, se Paul ou John, quem era o melhor dos Beatles. Há quem cite Chico Buarque de Holanda, autor do belíssimo “Se na bagunça do teu coração/ Meu sangue errou de veia e se perdeu...”. Eu votaria em “Você é meu caminho/ meu vinho, meu vício/ desde o início estava você”, embora não estivesse mentindo se em seguida riscasse a frase e colocasse em seu lugar o “Rapte-me/ adapte-me/ capte-me/ it’s up to me, coração/ ser/ querer/ merecer ser/ um camaleão”, do mesmo Caetano Veloso.

O filme de Helena Solberg passeia por dezenas dessas opções, explica algum Olavo Bilac que aparecia nas letras de Cartola e outro tanto dos modernistas nos refrões das marchinhas. Principalmente, deixa que Chico, Adriana Calcanhotto, Tom Zé, Lenine, Antonio Cícero, Martinho da Vila e Arnaldo Antunes revelem como fazem suas bandas passar, de onde surgem seus cariocas que não gostam de sinais fechados. O filme explica como foi se formando no país uma tradição de compositores tão notáveis que um dos tópicos mais recorrentes para animar conversa de botequim é o clássico “Seria poesia a letra de música?” — e neste momento sempre entra o chorrilho delicioso de exemplos para justificar o sim.

(A propósito, eu quero dizer agora o oposto do que disse antes e votar, como os mais belos versos da MPB, em “Tu és divina e graciosa/ estátua majestosa do amor/ por Deus esculturada”.)

Isto aqui é um pouquinho do país que inventou o drible “pedalada” e o verso “Reconhece a queda e não desanima/ levanta/ sacode a poeira/ dá a volta por cima”.

É o país que deu artefinal à sandália havaiana e escreveu, como se as palavras também estivessem rebolando, o “olha que coisa mais linda/ mais cheia de graça”.

Se o Lula é mesmo “o cara”, como diz o Obama, tenho minhas dúvidas.

Meu voto vai para o compositor popular.


Joaquim Ferreira dos Santos, O Globo. 06/04/09


Para Você, quais são os mais belos versos da MPB?

 PS: Para comentar não é necessário ter uma conta do google ou filiados. Basta escolher a opção nome/url e digitar seu nome.  

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Lá vem Affonso!

Dia 22 de abril ocorrerá nosso próximo encontro na UnB. O tema é poemas que falam de Brasília. Cada membro do grupo levará três poemas, devidamente analisados, como candidatos a integrar o nosso novo espetáculo!

E tem mais!!!

Dia 23 de abril receberemos na UnB a visita de nosso homenageado em "Fale-me de amor!", Affonso Romano de Sant'anna! Segue a dica:

Palestra e lançamento do livro O Enigma Vazio: Impasses da Arte e da Crítica
de Affonso Romano de Sant’Anna
Data: Dia 23 de abril - Quinta-feira.

Horário: 15h00 às 17h30.
Local: Auditório da Faculdade de Tecnologia (FT)
Campus Universitário, UnB.

Affonso se propõe a debater sobre arte contemporânea, sob um prisma interdisciplinar, enfocando a premência de se analisar a linguagem utilizada por alguns artistas e ensaístas. Afastando-se dos lugares-comuns e repetições registrados nos livros de história da arte, passa a pente-fino as alucinações críticas de brilhantes escritores como Octavio Paz, Jacques Derrida, Roland Barthes, Jean Clair e outros. Affonso traz, pela primeira vez para o espaço da crítica de arte, elementos da lingüística, da retórica e da filosofia, que são as mais eficazes para se analisar a “arte conceitual”. Este livro dá continuidade a um trabalho tornado mais visível com Desconstruir Duchamp e A cegueira e o saber. Affonso Romano de Sant’Anna é teórico, poeta, cronista, professor, administrador cultural e jornalista. Publicou mais de 40 livros, ensinou em universidades estrangeiras e nacionais e foi presidente da Biblioteca Nacional no período de 1990-1996.

Evento coordenado pelo Prof. Sergio Rizo, do Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes da Universidade de Brasília, telefones 99860027 ou 33072318.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Arnaldo Antunes for free!!!


Maxçuni avisa:

Arnaldo Antunes se apresentará de graça no SESI de Taguatinga no dia 16 de abril, quem estiver interessado deve retirar antecipadamente seu ingresso a partir das 13 horas do dia 15/04.

Vale a poesia, o encontro, a melodia!

Viva Arnaldo!

terça-feira, 31 de março de 2009

Olho vivo(verso)!!!


O Grupo VIVOVERSO está presente também na página do Departamento de Teoria Literária e Literaturas – TEL, da UnB.

Dê uma olhada:


http://www.poslit.unb.br/noticia.php?form_id_materia=144

Aproveite a visita, o site é um deleite! Navegue!

quinta-feira, 26 de março de 2009

Encontro da Canção

Ontem o VIVOVERSO reuniu seus pesquisadores para falar das letras de canção que vão compor nosso novo espetáculo. Cada um escolheu três músicas e teceu uma análise em torno da letra. Tivemos profundas e variadas interpretações. O trabalho científico que é realizado reforça a beleza da arte. Ela cresce. O grupo encerrou feliz o encontro do dia 25 de março, munido das melódicas viagens proporcionadas pelas análises. O próximo encontro será dia 22 de abril. Falaremos dos poemas escolhidos. Mais um encontro surreal à vista. Aqui falamos do diáfano, do invisível e alimentamos uns aos outros para poder voltar à rotina.

sábado, 21 de março de 2009

Busca...

A Lady Writing, de Johannes Vermeer, 1665.

Para nosso novo espetáculo está aberta a temporada de caça!!!

O elenco de pesquisadores do VIVOVERSO já anda garimpando no terreno dos poemas e da canção...

Em nossos próximos encontros vamos selecionar dentre os escolhidos aqueles que vão compor o nosso roteiro!

Em breve mais detalhes!

terça-feira, 17 de março de 2009

Sucesso no Sarau!

Grupo na versão Pocket Show do Espetáculo "Fale-me de Amor"!

A participação do Grupo VIVOVERSO no "Sarau da Origem" foi muito aplaudida! A atmosfera do lugar contribuiu para que todos tomassem a palavra e os versos dos mais variados poetas enchessem o ambiente.

Nas palavras de nossa anfitriã, Edma Góis:

"A gente é que agradece! A presença de vocês nos deu segurança. Muita gente, quer dizer, todo mundo elogiou. Muitos nunca tinham ido a um sarau na vida! Olha que legal."

A poesia agradece, acima de tudo!

sábado, 14 de março de 2009


Sarau da Origem

Participaremos do "Sarau da Origem", domingo, 15/03/2009, às 19h.

Local: Taberna Mittelalter (CLN 203 - BLOCO C- SUBSOLO LOJA 59)
Entrada: R$5,00

NÃO VÁ SOZINHO!!! LEVE UM LIVRO!!!

Contatos: Edma (8443.6690) ou Jackson (9121.8849)

sexta-feira, 13 de março de 2009

Primeiro encontro 2009


Nosso grupo retomou as atividades em 11 de março de 2009.

Já em ação para o próximo espetáculo (aguardem 2010),
dividimos tarefas e recebemos o roteiro de atividades do semestre!

Os próximos encontros serão no Auditório do TEL, às 18 horas, nos dias:

11 de março
25 de março

22 de abril


06 de maio

20 de maio


03 de junho

17 de junho


Até os próximos encontros!